É possível pensar em campanhas tradicionais para consumidores modernos?

Novos consumidores modernos

Não há mais como fugir: estamos na era digital. Com isso, o jeito tradicional de fazer marketing tem perdido cada vez mais espaço para novas maneiras das marcas se relacionarem com seus públicos. Por meio de recursos capazes de criar experiências mais reais, os clientes tem sido impactados de maneiras positivas e verdadeiramente surpreendentes, construindo assim laços mais fortes e ricos em significado.

Nesse novo cenário, o marketing digital se firma como principal opção estratégica. Mas será que, na prática, ele é mesmo tão diferente assim daquele praticado no passado? Não seria ele uma mera atualização do que foi feito até agora para atender a um novo perfil de consumidores? Afinal, será que é mesmo possível relacionar campanhas tradicionais e os novos consumidores modernos?

Para responder cada uma dessas perguntas desenvolvemos este post! Acompanhe a seguir e veja como o marketing tem reagido e de adaptado de maneira geral para agradar os novos consumidores. Descubra também as principais mudanças implantadas no setor e a importância das empresas responderem a essas transformações. Vamos lá?

Campanhas tradicionais X o novo consumidor moderno: uma relação difícil, mas possível

Você provavelmente conhece ou já teve algum contato com campanhas tradicionais de marketing. Elas desconsideravam o mundo digital, explorando canais hoje considerados distantes, pouco interativos e com opções de segmentação bastante limitadas, como é o caso da televisão, rádio, jornal ou revista. Por isso, era difícil mensurar seu impacto na decisão do consumidor. Além do mais, traziam diretrizes, tempos e ações muito bem definidas antes mesmo do seu começo, o que impedia ajustes ao longo da execução da campanha.

O marketing digital, por sua vez, chegou para atender as preces daqueles que buscavam atingir de maneira mais precisa os clientes modernos. Estamos falando de abordagens altamente personalizadas, de perfis de segmentação complexos e, consequentemente, assertivos para cada empresa e de uma mensuração de eficiência que ocorre quase em tempo real.

Mas, como se caracteriza esse novo consumidor?  E como devo me comunicar com ele em cada uma dessas novas mídias? É o que a gente te conta a partir de agora.

O perfil do novo consumidor moderno

A era digital e o crescente desejo das pessoas de obter informação rápida acabou gerando um novo perfil de consumidor, com necessidades bastante específicas. Seguindo a tendência, a ciência do Marketing como um todo teve que se reestruturar para atender às demandas do novo consumidor moderno, que quer tudo (e quer agora).

Empoderados, ansiosos, ágeis e exigentes. Estamos falando de indivíduos que não aceitam – e muito menos se satisfazem – com pouco. Não admitem ser enganados, gostam de ser impressionados e querem informações claras, precisas e úteis para uma boa tomada de decisão, especialmente aquelas em que investimentos maiores estão em jogo.

Para o novo consumidor moderno, o processo de compra como um todo envolve mais pesquisa, dura mais tempo e leva em consideração mais fatores do que se costumava considerar antigamente. A facilidade de troca de dados proporcionada pela internet faz com que esse público queira investir melhor seu tempo, energia e, principalmente, dinheiro.

As campanhas tradicionais

Que elas podem deixar muito a desejar nessa nova maneira de associação entre consumidores e marcas, não restam dúvidas. Mas será que é possível, em pleno século XXI, ainda se optar por campanhas tradicionais para impactar, engajar e conquistar consumidores modernos?

Pode parecer impossível, mas a resposta para essa pergunta é sim. Aqui, será preciso considerar também o bom senso. Profissionais que não estejam dispostos a reestruturar, ainda que minimamente, seu jeito de fazer marketing, acabará sem demanda. No entanto, com ajustes mínimos, estratégias de campanhas tradicionais podem (e devem!) ser utilizadas como ponto de contato para empresas se aproximarem desse novo perfil de cliente.

A renovação do marketing tradicional

Para relacionar campanhas tradicionais de marketing e consumidores modernos, o profissional dessa área deve conhecer as técnicas que permanecem atuais e procurar um meio de dar nova roupagem àquelas que se encontram defasadas.

A dica mais básica é focar no marketing de conteúdo e ir trabalhando daí em diante. É possível, por exemplo, criar uma estrutura de produção e traçar os caminhos de ações (o que já é feito), mas estar atento à possibilidade de mudar rápido de rumo caso os resultados não se mostrem positivos.

Outra possibilidade de atualização diz respeito à direção da comunicação. Tradicionalmente, as empresas criavam ações e anúncios de mídia paga (TV, principalmente) para divulgarem sua marca para o público. Não é preciso acabar com as propagandas para agradar o consumidor moderno, mas é fundamental também investir em canais mais acessíveis e de mão dupla (redes sociais e um chat no site, por exemplo) para ouvi-los e melhorar seu relacionamento, satisfazendo suas demandas de maneira mais próxima e personalizada.

As mudanças no marketing geradas pelos novos consumidores modernos

A introdução do marketing digital no mercado foi (e ainda tem sido) uma verdadeira revolução na maneira como os profissionais da área trabalham e se comportam. Nesse sentido, várias mudanças foram implementadas para adequar a estratégia das marcas aos consumidores, que apresentavam novas necessidades a uma velocidade nunca antes vista.

Foi assim que tantas empresas passaram a acompanhar mais de perto (e verdadeiramente se importar) com os impactos gerados pela chegada de tantas novas plataformas: redes sociais, blogs e sites.

Há que se considerar também, nessa equação, os tablets e smartphones. Apenas como referência desse impacto, o uso de dados móveis alcançou, no final de 2015, 192 milhões de acessos, contra 25,4 milhões provenientes da banda larga fixa.

Esse é ou não é um mundo completamente diferente quando pensamos em onde uma marca deve estar para se aproximar do novo consumidor moderno?

O que mudou?

A primeira das mudanças é a existência de um marketing completamente voltado para a educação do consumidor. A disponibilização de informações e criação de espaços de troca de ideias tornaram-se preocupações primordiais dos profissionais da área.

Como a internet não existe horário comercial nem feriado. Tudo deve ser pensado para rodar 24 horas por dia, 365 dias por ano. E se o novo consumidor se sentir prejudicado, ele não hesitará em comentar e reclamar — afinal, a rede proporciona condições e ambientes favoráveis a tais manifestações.

Assim, o essencial é pesquisar, conhecer e traçar objetivos para agradar seu segmento de mercado e satisfazer as novas expectativa do consumidor moderno. Quem não fizer isso, infelizmente, perderá espaço até não fazer mais parte do mercado.

Como responder a tais mudanças

Tudo está acontecendo muito rápido e adequar-se é urgente para se manter vivo. As empresas devem estar atentas às necessidades do seu público, o que exige investimento em pesquisa de mercado e atenção aos touchpoints, sejam eles digitais e físicos, para a construção de uma imagem e reputação bem sucedida de marca.

É importante ainda que as empresas compreendam o perfil dos seus consumidores de forma cada vez mais individualizada, para aproveitarem oportunidades e se anteciparem às tendências. Só assim será possível sair na frente da concorrência e verdadeiramente surpreender e encantar o cliente.

Para encarar esse desafio de interação com o novo consumidor moderno, as empresas não estão sozinhas. São inúmeros os segmentos de prestação de serviços atentos a essas mudanças e que oferecem soluções inovadoras para mapear perfis, compreender comportamentos e indicar canais de comunicação de maneira inteligente e sustentável para os objetivos de cada marca. A MindMiners é uma delas. Conte com a gente.

E, agora que você sabe que é possível relacionar campanhas tradicionais e consumidores modernos, que tal conhecer os 9 fatores que influenciam o comportamento do consumidor?

Posts relacionados