5 exemplos de Design Thinking para se inspirar na busca por inovação

“Pensar como um designer” para entender como os consumidores se comportam e adaptar seus produtos e serviços a eles (e não o contrário) é uma prática que tem ganhado cada vez mais adeptos no mundo corporativo.

Mas como funciona o Design Thinking na prática? Existem exemplos de Design Thinking realmente bem-sucedidos?

Neste post, selecionamos 5 grandes exemplos de aplicações práticas de Design Thinking para você se inspirar na hora de aplicar na sua empresa.

Quer entender melhor o que é Design Thinking antes de prosseguir a leitura? Então, confira em nosso blog: Você sabe o que é Design Thinking? Confira a definição e saiba como usar no Marketing

5 exemplos de Design Thinking

1 – Totvs

A Totvs é uma empresa que produz softwares e aplicativos para outras empresas. Ao perceber o rápido avanço da tecnologia e a proliferação dos dispositivos móveis (tablets e smartphones, especificamente), a Totvs recorreu ao método de Design Thinking para tornar os seus produtos mais “amigáveis” a esses dispositivos.

Em um primeiro momento, a empresa fez uma pesquisa e procurou ouvir e conhecer melhor os seus clientes com o objetivo de compreender seus atuais problemas e necessidades.

No caso dos clientes varejistas, por exemplo, a Totvs identificou que essas empresas precisavam de um software simples, capaz de permitir que o vendedor acompanhe o consumidor pela loja para efetuar a compra e agilizar o pagamento, sem precisar que o consumidor enfrente a fila do caixa.

Depois de mapear as necessidades, chegou a hora de organizar as ideias. Para isso, a empresa utilizou post-its coloridos e montou um mural. Funcionários de diferentes setores da Totvs também foram convocados para contribuir com ideias e sugestões.

Essa multidisciplinaridade e o espírito colaborativo também são aspectos do Design Thinking.

Organizadas as ideias, a Totvs deu início à etapa de Prototipagem, que consiste em criar um protótipo do produto, apresentar ao cliente e ouvir as sugestões dele. Depois, são feitas as devidas alterações e um protótipo do produto final é apresentado ao cliente.

Após aprovar essa última versão, a Totvs entrega o produto pronto para ser usado, mas não totalmente acabado. Isso é feito para que se possa observar a experiência do cliente e fazer as atualizações que forem necessárias, promovendo a melhoria contínua

No final de tudo, a Totvs conseguiu, por meio do Design Thinking, evitar retrabalhos e otimizar o tempo de produção do software.

Fonte: Exame

Fazer pré-testes e pós-testes com produtos, por meio de uma plataforma de pesquisa automatizada, é uma maneira muito eficiente de testar produtos e receber feedback antes e depois do lançamento.

Veja mais detalhes: Como usar o Design Thinking na estratégia de lançamento de produtos e reduzir riscos

2 – Natura

A Natura, empresa de cosméticos mundialmente reconhecida, utilizou o Design Thinking na prática para desenvolver novas soluções em produtos e serviços.

O que a marca queria era adotar uma abordagem leve e divertida, com o objetivo de ampliar e fortalecer o relacionamento com o público mais jovem.

Nesse sentido, a Natura reuniu uma equipe multidisciplinar para pensar em soluções que, de fato, fossem relevantes para o consumidor que a marca queria atingir.

Ou seja, todo o processo foi desenvolvido tendo como foco as necessidades e a experiência dos consumidores; tudo isso de maneira colaborativa e inovadora.

A empresa chegou a desenvolver uma parceria com o MIT Media Lab. Veja mais detalhes dessa iniciativa neste post do blog Natura Campus.

3 – Havaianas

O terceiro case da nossa lista de exemplos de Design Thinking é da marca Havaianas.

A empresa tem como carro-chefe as famosas sandálias de borracha, que em alguns lugares do mundo podem chegar a custar US$ 500. Mas a linha de produtos da Havaianas é composta também por toalhas, calçados, chaveiros e bolsas.

No caso das bolsas, a empresa recorreu ao Design Thinking para elaborar sua estratégia de lançamento.

A intenção era que as bolsas mantivessem a brasilidade e transmitissem um estilo descontraído e alegre, algo que já era observado nas sandálias.

O primeiro passo foi entrevistar pessoas de todo o Brasil para identificar certas características do povo brasileiro que pudessem ser transmitidas nas bolsas. A pesquisa foi feita também em outros países com o objetivo de manter a coerência com os mercados internacionais.

Depois, a Havaianas desenvolveu diversos protótipos, os quais foram testados, avaliados e adaptados até que a empresa chegou a um modelo ideal, lançado no São Paulo Fashion Week.

4 – GE Healthcare

Esse é um dos exemplos de Design Thinking mais emblemáticos.

A GE Healthcare, conglomerado multinacional de diagnóstico de imagens, contratou um designer para elaborar uma máquina de ressonância magnética com aspectos lúdicos e infantis para incentivar as crianças a realizarem o exame.

Porém, as crianças ficaram aterrorizadas com a máquina. A maioria delas teve que ser sedada para fazer a ressonância ou tiveram que repetir o exame porque não ficaram devidamente imóveis.

O designer contratado pela GE não tinha levado a experiência e os aspectos emocionais dos usuários em consideração. Ele, então, começou a pensar em como criar um produto melhor.

Para isso, utilizou o método de Design Thinking. Na etapa de Imersão, ele se reuniu com diferentes pessoas para encontrar maneiras de deixar a máquina de ressonância menos aterrorizante.

Depois, ele conversou com várias crianças para compreender melhor o universo delas e, assim, criar um ambiente que fosse agradável para elas.

Como resultado, as crianças perderam o medo da máquina.

Fonte: ITEP

5 – Netflix

É claro que a Netflix não poderia ficar de fora da nossa lista de exemplos de Design Thinking.

A personalização da experiência dos usuários é, talvez, um dos maiores desafios da bilionária plataforma de streaming.  

A empresa entende que o comportamento dos assinantes evolui com o passar do tempo, assim como suas necessidades.

Nesse sentido, para oferecer a melhor experiência e as melhores soluções possíveis, a Netflix precisa entender os hábitos e padrões de consumo dos seus consumidores, princípio básico do Design Thinking.

Para isso, ela conta com milhares de algoritmos complexos que norteiam a aquisição de conteúdos e os lançamentos de produções próprias.

Assim, os filmes, séries e documentários são lançados na plataforma somente depois de feita as devidas análises sobre os temas que os assinantes mais têm demonstrado interesse.

Como você viu, em todos os casos, a pesquisa foi parte fundamental do processo de Design Thinking. Afinal, conhecer de perto a maneira como os consumidores interagem com as inovações é uma das premissas dessa metodologia. E, nesse contexto, pesquisas digitais são uma solução ágil, confiável e acessível para colher informações.

Se você quer saber ainda mais sobre Design Thinking, baixe nosso e-book gratuito: Entenda definitivamente o que é Design Thinking

Posts relacionados

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Subscribe  
Notificações