Como definir amostragem de uma pesquisa?

Ainda que seu objetivo com uma pesquisa seja conhecer a opinião dos consumidores de uma forma mais abrangente, estudar toda a população de uma cidade, país ou região é algo inviável. Isso demandaria muito tempo, altos investimentos e, ainda assim, seria impossível garantir que todos teriam respondido o seu questionário. Não é mesmo? É por isso que existe o que chamamos de amostragem.

De maneira bastante simplificada, a amostra é uma parte representativa do público a ser pesquisado. Ela garantirá que os resultados obtidos por sua pesquisa quantitativa tenham validade e possam ser projetados para o universo total.

Parece complicado, mas não é. Garantimos que, ao final deste artigo, você terá aprendido como realizar corretamente uma amostragem de pesquisa que esteja alinhada com seus desafios. Preparado?

Afinal, o que é amostragem?

Para entender o que é amostragem precisamos primeiro definir o conceito de amostra. A amostra de uma pesquisa é um recorte sociodemográfico que permite entender o comportamento de uma população toda por meio de uma parcela dela.

Já a amostragem diz respeito ao processo de determinação de uma amostra. É a forma com que o pesquisador seleciona o grupo de pessoas que vai compor os respondentes de sua pesquisa.

O que eu preciso saber antes de definir a amostragem de uma pesquisa?

Para definir amostragem em uma pesquisa de marketing, primeiro é necessário definir os seus objetivos e o público que deseja atingir. De qual informação você precisa? A resposta para essa pergunta contribuirá com a definição do universo ou população que será investigada.

Por exemplo: se a ideia é saber por que as pessoas possuem TV por assinatura em um estado, você pode contar com todos os habitantes deste estado e perguntar se elas possuem o serviço e por quê. Com o emprego de uma amostragem, você selecionaria um grupo de indivíduos (amostra) para realizar as mesmas perguntas.

Tipos de amostragem

Durante esse processo, é fundamental eleger o método mais alinhado aos seus objetivos de pesquisa. Elencaremos a seguir alguns exemplos possíveis. Mas é preciso reforçar que existem vários outros métodos disponíveis quando o assunto é amostragem.

Amostragem probabilística

Para que uma amostragem seja considerada probabilística, é necessário que todos os elementos da população apresentem uma probabilidade maior de zero de serem selecionados para compor a amostra. Além disso, a probabilidade de cada elemento a ser selecionado tem que ser precisamente conhecida para que os resultados da pesquisa não sejam considerados tendenciosos.

Amostragem não probabilística

Ao optar por uma amostragem não probabilística deve-se levar em conta que, nesta técnica, as amostras serão selecionadas sem a obrigação de qualquer equilíbrio com o universo total pesquisado. Normalmente, a amostragem não probabilística trabalha com os sujeitos disponíveis em uma esquina ou em outros locais com grande circulação de pessoas. É importante destacar que, nos casos em que a amostragem não probabilística é usada, não se pode falar em margem de erro, já que a seleção dos elementos que compõe a amostra foi aleatória.

Esse conteúdo foi útil? Se você chegou até aqui é porque precisa e considera saber mais sobre como definir amostragem. Então, continue aprendendo com este glossário completo de pesquisa de mercado!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificações
avatar
wpDiscuz