Como o AD Block afeta seu marketing e o que fazer para contorná-lo

Há algum tempo surgiram novos recursos tecnológicos com a missão de bloquear propagandas nos sites — os chamados AD Blocks. Para muitos usuários, essa função veio em boa hora, uma vez que várias páginas usavam a publicidade de maneira exagerada, poluindo a experiência de navegação e inserindo pop-ups desnecessários.

Porém, essa solução acabou criando um grande problema para as ferramentas de divulgação das marcas. Nesse post, vamos mostrar como o AD Block afeta o marketing das empresas e dar algumas dicas do que você pode fazer para contorná-lo. Vamos lá?

O que é o AD Block?

Diante do abuso por parte de alguns sites, que insistiam em poluir excessivamente seus layouts, foi criado o bloqueador de anúncios (ou AD Block). Ele nada mais é do que uma extensão do navegador capaz de identificar propagandas e fazer com que não apareçam mais durante a navegação.

Com o avanço da ferramenta, mais e mais modalidades de publicidade passaram a ser bloqueadas, o que começou a afetar a forma como sites são rentabilizados por meio da inserção de campanhas publicitárias. Um bom exemplo é o YouTube, que traz anúncios passíveis de monetização antes dos vídeos. Com o AD Block, essa propaganda não é exibida e o dono do canal deixa de receber da plataforma.

Quais são as vantagens dessa extensão?

Os bloqueadores de anúncio são vantajosos para os usuários, que deixam de ver anúncios em momentos indesejados. Dentre esses benefícios, podemos citar:

  • Privacidade: como os anúncios usam informações da navegação para mostrar ofertas personalizadas, com o uso do AD Block essa colheita de dados não acontece;
  • Menos distrações: como já falado, muitos sites poluem seus layouts com excesso de propagandas. O uso da extensão faz com que a leitura seja mais “limpa”
  • Sem malware: alguns conteúdos podem ser maliciosos, trazendo risco para o usuário. O AD Block evita esse tipo de perigo;
  • Encurtamento de vídeos: querendo ou não, a obrigatoriedade de assistir a uma propaganda para ter acesso ao conteúdo do YouTube pode ser incômoda para o usuário. O AD Block remove esses “problemas”;
  • Botões de mídias sociais: os botões de redes sociais podem ser muito úteis para a disseminação do conteúdo, mas muitos sites os usam erroneamente, tornando-os um incômodo. Evitá-los é mais uma função do AD Block.

E as desvantagens?

Obviamente, os mais prejudicados pelo uso das ferramentas de bloqueio de anúncios em sites são aquelas marcas confiáveis, que acabam sendo impedidas de se comunicar com os seus consumidores. Além delas, sites que vendem espaço para anúncios publicitários também são prejudicados.

Em contrapartida, o usuário também pode sair prejudicado, pois deixa de receber conteúdos que poderiam ser úteis para ele. Além disso, a própria extensão acaba “pesando” a navegação do internauta ao utilizar muita memória para bloquear anúncios em várias abas.

Como contornar o bloqueio dos usuários?

Algumas companhias já buscam alternativas para que o público considere desinstalar a extensão ou, ao menos, não usá-la nas páginas de seu domínio. E isso é possível porque o próprio AD Block permite o filtro de sites onde os anúncios podem ser exibidos. Há portais de notícias, por exemplo, que não autorizam que você acesse o seu conteúdo com o AD Block ligado. Essa pode ser considerada uma abordagem mais agressiva, fazendo com que o usuário busque outras fontes para pesquisar os temas de interesse.

Diante de tudo isso, a melhor maneira de fazer com que o seu site entre no filtro das pessoas é oferecer uma experiência de anúncios que não desperte nelas o desejo de bloqueio. Outra maneira interessante de se contornar a extensão é incluir outros formatos de conteúdo na estratégia de comunicação de marca, como vamos apresentar no tópico a seguir.
Invista em formas de divulgação menos invasivas

Em vez de apenas inserir uma propaganda automática na sua página, por que não realizar uma divulgação nativa? Ela pode ser feita a partir de posts patrocinados, nos quais você apresentará as vantagens de um produto, e, até mesmo, de vídeos nesse mesmo formato. Dessa maneira, você estará garantindo uma estratégia de marketing funcional, sem o risco de “desaparecer” da navegação pelo uso do AD Block.

Além disso, é possível transformar essa estratégia em uma fonte de renda mais eficaz, já que o conteúdo será direcionado para o seu público, sem a interferência dos diversos modos de navegação dos seus usuários.

Além de contornar os bloqueadores, essa tática favorece também o consumidor. Isso porque ele terá acesso a um conteúdo de qualidade, que possa ter valor para a sua vida. Assim, tanto a marca anunciada quanto o próprio anunciante poderão, de maneira menos intrusiva, elaborar campanhas de marketing atrativas para o cliente, ao mesmo tempo em que conseguirão resultados reais.

Adapte-se à realidade

O uso do AD Block já é uma realidade. No Google Chrome, apenas uma das suas versões possui mais de 15 milhões de usuários! Por isso, dificilmente esse tipo de extensão deixará de ser utilizado. Portanto, cada vez mais os setores de marketing precisam elaborar campanhas atrativas e agradáveis para o seu consumidor para não correrem o risco de nem ao menos serem visualizadas de início.

Gostou de saber como o AD Block afeta o marketing? Quer incorporar essas táticas na sua estratégia de marketing? Leia o nosso e-book sobre métricas de marketing e faça isso da melhor maneira possível.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificações
avatar
wpDiscuz