5 técnicas para gerar ideias de inovação em produtos

Perto de completar 80 anos de sua criação, por Alex Osborn (um dos fundadores da BBDO), nos anos 30, o brainstorming é uma das mais conhecidas ferramentas de geração de ideias. Mas será que nesse quase um século, não surgiu nada de novo para ajudar aqueles que querem promover a inovação em produtos?

Selecionamos aqui 5 técnicas de geração de ideias que, além de bastante produtivas, podem ser uma maneira divertida de inovar e conseguir mais criatividade e inovação em sua empresa. Essas técnicas ajudam os participantes a se desprender de velhas formas de pensar e a se livrar de maneiras engessadas de encarar os problemas promovendo inovações disruptivas, que proporcionam verdadeiras oportunidades de criar novos mercados e modelos de negócios.Assim, quando sua empresa estiver pensando em como lançar um produto no mercado realmente inovador, não deixe de empregar uma delas.

5 maneiras práticas de ter ideias para conseguir inovação em produtos

É importante lembrar que as técnicas apresentadas a seguir podem ser usadas tanto para a inovação em produtos como para a inovação de processos dentro de sua empresa.

1- Brain-Writing

  • Número de participantes: mínimo de 3, máximo de 12
  • Material: blocos de notas e canetas

Os participantes deste exercício devem se posicionar sentados ao redor de uma mesa ou, se preferirem, sentados no chão, em um círculo. Cada um recebe uma folha de papel onde deve escrever suas ideias de inovação em produtos. Quando todos tiverem terminado, passam a folha para o participante à sua direita, que lê as ideias mentalmente, acrescenta comentários e sugestões e passa adiante. Isso se repete até que todos tenham lido e feito notas nas ideias uns os outros. Em seguida, pode-se iniciar uma discussão.
Dessa forma, mesmo os mais introvertidos conseguem expressar suas ideias e enriquecer o debate.

2- Os 6 chapéus pensadores

  • Número de participantes: mínimo de 6, evitar mais que 12
  • Material: nenhum específico

As pessoas costumam ter maneiras próprias de pensar, mas se forem convidadas a interpretar um papel e pensar de uma forma dirigida, além de se desprender de velhos conceitos, se sentirão mais livres para se expressar suas ideias sem medo de críticas, pois, afinal, estão “representando um papel”. Neste exercício, para ter ideias de inovação em produtos, cada um dos participantes usa um chapéu imaginário diferente, de modo que todos os ângulos de um nova ideia são avaliados, sem que escape nenhum detalhe.
Os chapéus imaginários são:

  1. Lógica, com foco nos fatos.
  2. Otimista, com foco no valor e nos benefícios.
  3. Advogado do diabo, com foco nos desafios e dificuldades.
  4. Emoção, com foco nos sentimentos e intuições.
  5. Criatividade, com foco em novas ideias e possibilidades.
  6. Gerenciamento, com foco em controlar se as regras de cada chapéu estão sendo seguidas.

3- SCAMPER

  • Número de participantes: mínimo de 3
  • Material: blocos de notas e canetas

Provavelmente uma das mais conhecidas técnicas de geração de ideias, o Scamper se baseia em usar cada uma das letras do acrônimo para submeter um produto existente, protótipo ou conceito a uma ação que visa melhorá-lo ou torná-lo totalmente novo.

  • Substituir o que nesse produto?
  • Combinar o que com esse produto?
  • Adaptar como esse produto?
  • Modificar o que nesse produto?
  • Pôr o que de novo nesse produto?
  • Eliminar o que nesse produto?
  • Reverter o que nesse produto para reordenar seus elementos?

O objetivo é ser fantasioso nas respostas, de modo a que esse exercício nos leve a encontrar uma forma realmente diferente de enxergar um novo produto ou uso para ele.

4-  Conexões forçadas

  • Número de participantes: ideal de 5, mínimo de 3
  • Material: diversos itens diferentes entre si e desconexos, como sapatos velhos, brinquedos usados, telefones antigos, cordas, eletrodomésticos, ferramentas, um tijolo, uma lâmpada etc. Um quadro para desenhar, giz ou caneta para escrever no quadro

Use o quadro para desenhar mais itens aparentemente desconexos e convide os participantes a pensar em como uni-los ou conectá-los de forma a ter ideias de inovação em produtos. Lembre-se: muito produtos de enorme sucesso, como o fax e o smartphone, surgiram da união de produtos ou funcionalidades de produtos que já existiam.

5- Produto reverso

  • Número de participantes: mínimo de 3
  • Material: blocos de notas e canetas

Pense em alguns produtos de sucesso no mercado e convide o grupo a pensar para que serviriam se fizessem o oposto do que fazem.
Por exemplo: para que serviria uma fita adesiva que não cola fiamente, mas que se solta facilmente e depois volta a colar? Talvez você não tenha percebido, mas essa é a definição de um post-it. O uso do raciocínio do produto reverso pode sugerir ideias que realmente geram inovações disruptivas, como um carro que não é feito para ser dirigido (veículos autônomos) ou uma mídia social que não guarda as mensagens, mas as apaga rapidamente (Snapchat).

Este artigo foi escrito pela equipe do HEFLO, um software de BPM e modelagem de processos intuitivo e baseado na nuvem.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Subscribe  
Notificações