Estudo sobre redes sociais mostra impacto de seu uso na jornada de compra

Estudo sobre redes sociais: os impactos na jornada de compra

As redes sociais reconfiguraram um dos principais canais por meio do qual os consumidores se relacionam com as marcas. Elas hoje são um espaço para compartilhamento de experiências positivas e negativas. A partir do boom no uso dos smartphones, é possível dizer que os consumidores estão mais empoderados para emitir e consultar opiniões sobre determinado produto ou serviço.

A jornada de compra foi fortemente afetada por esse novo modelo de comportamento, em todas as suas etapas. Na fase de “Aprendizado e Descoberta”, as redes sociais desempenham papel marcante, com os consumidores vasculhando as redes sociais em busca de opiniões e dicas para resolver seus problemas e necessidades. Com todas essas informações recolhidas, o “Reconhecimento do Problema” se torna mais rápido e natural, fazendo com que o consumidor entenda melhor suas necessidades e direcione sua busca pela solução. Na sequência, a fase de “Consideração da Solução” já passa pela visita aos perfis das marcas, dos produtos ou serviços que considera adquirir, inclusive com interações e comentários nesses espaços, o que mostra a importância das empresas monitorarem constantemente suas mídias sociais. Por fim, a “Decisão de Compra” pode envolver a comparação de preços na internet (até mesmo dentro de um ponto de venda físico) e até a visita a mídias sociais especializadas na manifestação de opiniões, como no TripAdvisor ou ReclameAQUI, onde os usuários mantém perfis com o objetivo específico de falar bem ou mal de um serviço ou marca.

A MindMiners, empresa de tecnologia especializada em pesquisa digital, levantou dados muito relevantes sobre o uso de redes sociais no Brasil e sua relação com os hábitos de consumo dos usuários. Trouxemos alguns resultados desses estudos para você.

Futuro do Varejo

A pesquisa Futuro do Varejo: Experiência de Compra Online – com 1000 respondentes de todo o Brasil, mostrou que 54% dos entrevistados seguem os perfis das suas marcas preferidas nas redes sociais; cerca de 21% utiliza essas mesmas páginas como fonte de pesquisa antes de efetuar a compra. O estudo também mostrou que 81% dos consumidores assumem que leem os comentários de outros usuários antes de comprar determinado produto ou serviço pela primeira vez. E mais: 71% confiam plenamente nas avaliações. É importante notar que as opiniões negativas são as que mais impactam o processo de compra, pois 83% admitiram que os comentários depreciativos costumam ser mais relevantes para eles do que os positivos, exercendo maior influência na decisão.

Antes de efetuar uma compra na loja física, 54% dos respondentes admitiram utilizar o smartphone para ler comentários sobre o produto que estão interessados em comprar; outros 67% recorreram ao seu dispositivo para fazer um comparativo de preços com a concorrência. Nesse estudo, constatou-se também que elas se tornaram um importante canal para as empresas de e-commerce: 38% dos entrevistados já compraram algum produto através de um link que viram em uma rede social.

Hábitos dos 50+

Outro de nosso estudos – Maduros: hábitos de consumo dos 50+ – que contou com uma amostra de 863 respondentes com mais de 50 anos de idade, mostrou que o canal mais usado por essa faixa da população para se manter informada é a internet. A geração dos maduros muitas vezes fica esquecida quando se pensa em mídias sociais e internet, mas, na verdade, ela é bastante ativa na rede, onde essa parcela da população acompanha tendências e consome ativamente. Segundo o estudo, as mídias sociais são a segunda opção mais usada por eles, 83% a utilizam para se informar, pouco atrás de sites de notícias, com percentual de 85%.

Conclusão

O advento das redes sociais permitiu aos consumidores expressarem e compartilharem suas experiências de compra com maior agilidade e alcance. As redes sociais tornaram-se uma plataforma de discussão e uma fonte de pesquisa sobre os produtos e serviços que as empresas oferecem aos consumidores. Cientes dessa maior autonomia e do empoderamento dos usuários – de diversas faixas etárias e gerações, como vimos nos estudos acima –, as empresas viram nas redes sociais uma oportunidade de interagir e ganhar a confiança do seu público-alvo, tendo em vista que esses espaços passaram a ser utilizados como referência para compra, e até de posicionar-se em relação à sustentabilidade e outras bandeiras sociais. Mas isso deve ser feito de forma autêntica, pois o novo consumidor é capaz de perceber quando discurso nas redes são meras palavras e quando realmente retratam os valores de uma empresa.

Se sua empresa quiser fazer pesquisas como essas para conhecer melhor seu público ou ter a resposta para diversos outros temas relacionados ao seu negócio, basta se cadastrar gratuitamente na plataforma de pesquisa automatizada da MindMiners e começar agora mesmo.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Subscribe  
Notificações